Ministério do Trabalho confirma UGT como segunda central sindical brasileira

O sindicalismo cidadão, ético e inovador da União Geral dos Trabalhadores (UGT), centrado no ser humano, capaz de oferecer respostas e propostas aos problemas nacionais, tem demonstrado que este é o novo caminho do sindicalismo brasileiro. 

 

Nesta segunda-feira (7), o Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTP) publicou no Diário Oficial da União a aferição das centrais e apontou a UGT como a segunda maior Central Sindical do Brasil, em cálculo que considerao número de trabalhadores associado a cada sindicato e a quantidade de entidades sindicais filiadas às centrais, até o último dia do ano anterior.

 

Nas bandeiras de luta da UGT estão os direitos do trabalhador e trabalhadora no Brasil, igualdade de gênero, inclusão, imigrantes, saúde e segurança, justiça social e trabalho decente, desenvolvimento com sustentabilidade, entre outros. Representando trabalhadores de todos os segmentos profissionais, a UGT consolida sua posição também como a maior central na área de comércio e serviços.

 

Pelos dados divulgados pela Secretaria de Relações do MTP, a UGT agrega 1.277 entidades sindicais, em percentual de 11,38% do total de sindicatos filiados.

 

 A aferição foi feita por grupo de trabalho tripartite, em que se encontram representantes do MTP, do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e de cada central.